Em 13 dias, mais de 50 alunos de cursinhos populares e comunitários de São Paulo que não conseguiram isenção da taxa do ENEM puderam ter a certeza de participação no exame. Como? O projeto “Boleto Solidário” conectou esses jovens com voluntários. Com isso, é possível garantir o pagamento dos boletos da inscrição do exame – sem intermediários.

A ideia é da jornalista e mobilizadora social Amanda Bozza. Para o Portal G1, ela explicou: “Eu sempre quis ajudar jovens que vinham de uma realidade social parecida com a que eu vivi. Como fui bolsista integral do Prouni, e isso sem dúvida transformou minha vida, eu sentia que tinha um dever social em retribuir o impulso que eu recebi. A educação sempre foi meu foco, pois eu era a prova viva da transformação”.

Ela criou uma página no Facebook para se aproximar de voluntários parceiros.  Para encontros os alunos, Amanda teve a ajuda da Frente de Cursinhos Comunitários e Populares – SP. Eles entraram em contato com os coordenadores dos cursinhos. As organizações criavam uma planilha com número de alunos que precisavam de padrinhos e os contatos dos cursinhos. Cada vez que aparecia um voluntário, Amanda ligava para o cursinho.

Boleto Solidário: isenção da taxa do Enem
“Aproveito para agradecer imensamente o trabalho. Sabemos bem o quanto as taxas são uma das barreiras que afastam nossos estudantes da universidade e esse trabalho em parceria é fundamental para alcançarmos nossos sonhos”, contou aluno beneficiado.

 

 

 

 

Oportunidade para diminuir a desigualdade social

O designer Guilherme Nagüeva, 32 anos, foi um dos voluntários. Ele diz que queria dar ao estudante de baixa renda a mesma oportunidade que outros alunos com melhores condições financeiras têm: a de tentar. Ele também contou ao G1: “Educação é um dos pontos fundamentais para mudar a vida de alguém. Mas o que a gente faz quando as pessoas sequer têm a chance de pagar a inscrição para o Enem? Não estou falando de cursar uma faculdade, a gente está falando apenas de tentar entrar em uma universidade. Tem gente que faz um curso superior, mas tem muitos que sequer conseguem tentar”.

A ideia agora é continuar com o projeto para ajudar a pagar inscrições de outros vestibulares. “Outro desejo também é expandir para além de SP em áreas e comunidades mais carentes”, explica Amanda.

Post com resumo e modificações produzidas pelo Caindo no Brasil da publicação Projeto ‘Boleto Solidário’ ajuda a pagar inscrição de alunos do Enem em SP”, do portal G1. Leia a matéria original e na íntegra clicando no link.