Qual professor nunca se sentiu “trocado” pelos smartphones. E aquele que achou que o modelo de aulas tradicionais já estava falho para uma geração hiperconectada? Essa foi um pouco da história do  Jubilut, do Biologia Total, canal com mais de um milhão de inscritos. Paulo formou-se em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Santa Catarina. Ele lecionou por dez anos em cursinhos e colégios, até perceber que algo estava errado. 

Abriu seu canal no Youtube como experimento e hoje o projeto conta com plataforma de estudos completa, com site próprio e cursos exclusivos, cujas mensalidades partem de R$ 17. Em entrevista para a Revista Galileu, ele conta: “Hoje somos uma empresa de 25 funcionários, fizemos vídeos na África para explicar sobre os animais de lá”, conta o edutuber (como são apelidados os youtubers de educação). 

Imagem do professor Jubilut, usando um jaleco branco e segurando um crânio, com um fundo azul e ao lado o texto "Extensivo medicina - Biologia para futuros médicos"

Estudantes também se beneficiam com professores youtubers

A maioria dos edutubers busca usar os canais para alavancar as próprias plataformas de ensino, Neles, os profissionais conseguem ganhar mais com o conteúdo. Eles lucram, e os estudantes gastam menos que em cursinhos convencionais. A revista Galileu contou que essa economia foi fundamental para Jhosen Congeta, de 27 anos. Ele cursa o primeiro ano de medicina na USP de Ribeirão Preto. Para chegar na universidade, conciliou o trabalho de vendas online e o cursinho.

A revista também identificou que Jhosen não é o único que gosta de estudar com auxílio da tecnologia. Segundo dados do YouTube, 65% dos usuários procuram a plataforma quando querem aprender. Todos os dias, conteúdos educativos têm 500 milhões de visualizações. São assistidos por quatro vezes mais tempo do que vídeos fofos de gatinhos.

 

Esse post é um resumo com alterações do Caindo no Brasil de matéria publicada pelos repórteres André Jorge de Oliveira e Giuliana Viggiano para a Revista Galileu, com o título “Professores youtubers: conheça os canais que democratizam a educação”. Clique no link para conferir a matéria original e completa.