Imagem do evento do Prêmio Educador Nota 10, com cerca de 35 pessoas reunidas em cima do palco, uma do lado da outra, sorrindo para a foto
(Reprodução)

O Prêmio Educador Nota 10 é um dos maiores e mais importantes prêmios da Educação Básica Brasileira. Agora, a sua 21ª edição estará com as inscrições abertas até dia 27 de maio. É uma iniciativa que valoriza o trabalho de professores, diretores, coordenadores pedagógicos e orientadores educacionais  que desenvolvem práticas para garantir uma educação com mais qualidade e significado. Iniciativas como essa apoiam o combate à evasão escolar.

 

Em uma primeira fase são escolhidos 50 finalistas. Entre eles, são selecionados os dez Educadores Nota 10. Por fim, o Educador do Ano, reconhecido em evento de premiação em outubro, em São Paulo. Cada um dos dez vencedores do Prêmio Educador Nota 10 ganha um vale-presente no valor de R$ 15 mil. Além disso, todas as despesas são pagas para participar da cerimônia de premiação. O Educador do Ano, escolhido pela Banca de Jurados, recebe outro vale-presente também no valor de R$ 15 mil. As escolas dos professores vencedores também recebem uma verba para celebração. Os professores podem submeter seus projetos pelo site.

De Cacoal para o mundo

A 20ª edição do Prêmio Educador Nota 10 consagrou a professora Elisângela Dell-Armelinda Suruí, de Cacoal, Rondônia, como a Educadora do Ano em 2017. A professora conquistou o troféu com o projeto ‘Mamug Koe Ixo Tig’.  Elisângela percebeu que os alunos da classe multisseriada de 1º a 5º ano, que falam Paiter Suruí (língua indígena), tinham dificuldade para escrever. E a dificuldade era tanto nesse idioma, quanto para entender os materiais didáticos em língua portuguesa.

Por isso, preparou junto com eles um caderno de atividades de escrita e leitura na língua materna. Assim, ela estabeleceu relações com a língua portuguesa e com a de sinais, já que existem muitos surdos entre o Povo Paiter. Elisângela é um grande exemplo de que um professor engajado faz com que a educação seja vista como um caminho para os alunos. Consequentemente, essa é uma forma muito potente de apoiar o combate à evasão. 

Além do destaque que os projetos recebem em todo território nacional, alguns deles conseguem alçar voos mais altos. Em 2016 e em 2018, dois trabalhos brasileiros foram selecionados para o The Global Teacher Prize. Organizado pela Fundação Varkey, o prêmio é reconhecido como o Nobel da Educação.

Diego Mahfouz Faria Lima, Educador do Ano 2015 no Brasil, estava entre os finalistas do Global Teacher Prize de 2018. Em 2017, o professor Wemerson da Silva Nogueira, Educador do Ano 2016, também ficou entre os 10 finalistas do prêmio.