Imagem de inseto sendo vista pelo microscópio de baixo custo
Lente usada para leitura de DVD aumenta imagem em até 300 vezes (Foto: John Pacheco/G1)

Baseado numa ideia americana, mas com a criatividade e o jeitinho brasileiro, dois alunos e um professor do Instituto Federal do Amapá (Ifap) desenvolveram um pequeno microscópio de baixo custo gastando cerca de R$ 25, utilizando materiais reutilizados e pequenos acessórios. O objetivo é expandir a produção e aumentar o ensino de Biologia em escolas públicas sem laboratórios. 

O Caindo no Brasil acredita que iniciativas como essa aumentam o interesse pela educação científica tanto pelos criadores da solução quanto para os alunos que serão beneficiados. Além disso, garante uma maior conexão entre a vida dos alunos e a escola. Isso pode ajudar a combater a evasão escolar e aumentar o engajamento dos jovens na escola.

Desenvolvido pelos alunos Carlos Eduardo Silva e Thaís Rodrigues, ambos de 16 anos, orientados pelo professor Joádson Rodrigues, o projeto é realizado apenas parafusos, capas de CD e pequenas lanternas. As lentes são formadas por leitores de DVD reaproveitados. Além disso, a visualização de pequenos microorganismos pode ser feita no microscópio com o uso do celular.

 
Imagem do microscópio de baixo custo
Equipamento desenvolvido usa aparelho celular como lente (Foto: John Pacheco/G1)
 

O G1 do Amapá entrevistou os estudantes: “Aqui no Ifap não tínhamos o laboratório de biologia quando entrei, em 2016. O professor havia visto esse trabalho na internet nos Estados Unidos e quis trazer para a nossa realidade. Fomos vendo o projeto original e trocando as peças para outros materiais mais acessíveis”, comentou Carlos Eduardo, que cursa Edificações. 

Projeto apoiará comunidades ribeirinhas

O Ifap vai iniciar ações de extensão para levar o microscópio para escolas da periferia e da Zona Rural. “Essa extensão vai ser proposta para as escolas ribeirinhas, onde não tem esse laboratório. Vamos educar professores e alunos, pois não precisa nem de energia elétrica, somente o celular”, declarou Márcio Castro, diretor-geral do campus Macapá.

Post com resumo e modificações produzidas pelo Caindo no Brasil da publicação Alunos do Ifap desenvolvem microscópio com R$ 25 e ideia será expandida para escolas públicas”, do repórter John Pacheco para o G1 Amapá.