No sábado (10/3), das 14h30 às 17h30, acontecerá o lançamento oficial do livro Educação de Alma Brasileira, no Instituto Singularidades, em São Paulo.
 
De maneira didática e profunda, a obra propõe um caminho para a Educação de Alma Brasileira. Nele, educadores e relatos de experiências reconhecem a alma brasileira como força nossa. Seguindo o questionamento “Como seria a educação, se fosse pensada a partir de nosso povo, nossa cultura e nossa história?”, apresenta a história da educação brasileira, através de seus momentos de encontro e luta.
 
O evento será aberto ao público e tem vagas limitadas Os participantes que se inscreverem pelo link ganharão uma cópia impressa do livro. Também é possível fazer download gratuito da obra.

Sobre o livro

O texto é dividido em três partes. Iniciando com uma análise sobre os movimentos da alma brasileira, as dualidades culturais que mais se manifestam na educação escolar de nosso povo. Em seguida, passa por uma revisão histórica dos momentos em que ocorreram as principais irrupções de novas ideias e experiências educacionais. Assim, contextualiza a leitura e ajudar a explicar a construção de nossa alma. E por fim, apresenta uma seleção dos principais educadores e manifestações educacionais. Elas conseguiram captar nossa alma e concretizar uma educação inspiradora.
 
Capa do livro Educação de Alma Brasileira, com a pintura de diversos educadores brasileiros
 
 
Escrito por educadores que também são pedagogos, jornalistas, advogados e engenheiros, o projeto tem diversos curadores. Entre eles, Helena Singer (Ashoka Brasil). Natacha Costa (Associação Cidade Escola Aprendiz). Pilar Lacerda (diretora da Fundação SM Brasil) e Rafael Parente (CEO da edtech Aondê).
 
O livro foi pré-lançado na mesa de encerramento do 3º Seminário Internacional de Educação Integral, na Roda de conversa “Educação de Alma Brasileira: Educação Integral e a construção da democracia”, mediado por Natacha Costa. O livro foi realizado pela Vekante Educação e Cultura, com co-autoria de Pé na Escola, Tathyana Gouvêa e Caindo no Brasil. A publicação teve apoio da Fundação SM, Instituto C&A e Itaú Social, em parceria com a Associação Cidade Escola Aprendiz.