No canto esquerdo da fotografia há aproximadamente quatro jovens sentados. No centro, há três jovens sentados em almofadas no chão discutindo sobre um assunto olhando para o notebook.
(Reprodução/Facebook Área 21)

Existem muitas formas de contar o que é a Área 21.

Podemos contar sua história através das perguntas que provocaram sua criação. Como “Que competências os jovens precisam desenvolver para garantir seu sucesso no século XXI?”. Durante a cocriação da Área 21, diversos especialistas em educação e espaço maker e jovens foram envolvidos.

Também poderíamos contar começando pela jornada desse projeto. Ele é um Laboratório de Criatividade que traz os jovens para um jogo, onde eles passam por uma fase tutorial antes de partir para as missões reais e conquistar o universo. Ou podemos focar nas competências socioemocionais. Elas são o nosso coração! Tudo na metodologia é pensado para que os jovens desenvolvam criatividade, comunicação e empatia, colaboração e cooperação, pensamento crítico e autoeficácia. Isso acontece através de um super espaço, que tem direito a tudo que um bom “espaço maker”. Ou, como dizemos, espaço mão na massa, que tem cortadora a laser; impressora 3D; arduino; programação; robótica; vídeo e muito mais. O espaço da sala de aula deles é cheio de materiais e projetos realizados pelos alunos, para ter mais pertencimento e conforto. 

Os jovens na Área 21

As formas são muitas, mas, no meio de tantos olhares, o mais aguçado é, sem dúvidas, o dos jovens que fazem a Área 21. “É muito bom pra você aprender coisas novas para sua vida, também não é só pra trabalhar e atuar no mercado de trabalho. Você pode também levar como um aprendizado pra vida, né? Você aprende coisas novas e utiliza elas no dia a dia”, contou Fernando, de 16 anos.

“É um lugar que você vai lá e você coloca suas ideias em prática. Então, você trabalha muito com empatia para saber escutar e também ser escutado pelas outras pessoas. Em todo momento do curso, eles perguntam se você está bem, se você tá de acordo com aquilo, perguntam o porquê das coisas. Afinal, você tem que saber o que tá falando. Então, isso te obriga realmente a pensar. Você cria a sua opinião. Eu sei das coisas porque eu pesquisei sobre isso. Eu fui atrás. Eu criei um projeto sobre isso. E eu posso mudar alguma coisa com esse tipo de projeto. Isso é totalmente reconfortante e muito satisfatório, de verdade.” também contou Giovana, de 15 anos.

No fim, ou no começo, o que vale enfatizar é isso: a Área 21 é dos jovens, eles são os protagonistas, eles constroem, eles aprendem e eles ensinam. Tem muito para contar sobre o projeto, e esperamos poder fazer isso aqui no Caindo no Brasil, convidando vocês para entrar nesse Laboratório de Criatividade. 

Vamos?

Por Lyna Malheiros, coordenadora da Área21 pelo Instituto Tellus