Imagem de dois meninos na sala de aula sorrindo e olhando o Foldscope
(Reprodução/Foldscope)

O olhar investigativo e a educação científica são essenciais para uma educação mais efetiva e com mais significado. No entanto, esse estímulo é muito pouco explorado dentro de um sistema educacional conteudista e sem engajamento. Além disso, há uma grande falta de investimento, como na falta de infraestrutura e na formação de educadores.

Pensando nisso, há uma alternativa muito interessante de tornar o acesso à ciência algo mais fácil e ainda aumentar o engajamento dos alunos. O Foldscope é um microscópio feita de origami que ajuda várias de pessoas ao redor do mundo a ter acesso a uma educação científica acessível. Ele foi criado pelo bioengenheiro e professor-assistente da Escola de Medicina de Stanford, Manu Prakash, e é de baixo custo. Seu objetivo, além de promover uma educação de fácil acesso, é ajudar no diagnósticos de doenças. Especialmente em países de baixa renda, onde os resultados de análises podem demorar muito tempo. 

Educação acessível e de qualidade

Imagem do Foldscope, em papel de cor azul claro
(Reprdução/Foldscope)

O Foldscope conta com todas as funcionalidades de um microscópio comum. Mas ele é construído apenas a partir de uma dobradura de papel. O material é vendido a partir de US$ 1,00. Ou seja, o valor é extremamente baixo. Cada modelo de Foldscope pode ser montado através de um código de cores muito didático. Por isso, ele há a necessidade de instruções escritas e ele é acessível também para leigos. Cada aparelho funciona como se fosse um microscópio desenhado especificamente para o diagnóstico de uma doença. Atualmente, há mais de 30 modelos, cada um com uma funcionalidade.

Apesar do material ser estrangeiro, a ideia é extremamente coerente com a situação atual do nosso ensino. Afinal, o seu objetivo é ser de baixo-custo e estimular a educação científica. O site do Foldscope, apesar de estar em inglês, mostra mais detalhes sobre a sua construção e sobre a trajetória desse projeto.