De olho nas metas e na evolução da educação brasileira

60.jpg

O Todos Pela Educação lançou a sétima edição da publicação bienal De Olho nas metas, que traz o monitoramento dos indicadores das 5 Metas estabelecidas pelo movimento em 2006. O objetivo da publicação é mensurar, estados e da federação no que tange a acesso/atendimento, alfabetização, aprendizagem, fluxo escolar e investimento/gestão da Educação Pública brasileira.

 1) Toda criança e jovem de 4 a 17 anos na escola;

2) Toda criança plenamente alfabetizada até os 8 anos;

3) Todo aluno com aprendizado adequado ao seu ano;

4) Todo jovem de 19 anos com Ensino Médio concluído;

 5) Investimento em Educação ampliado e bem gerido.

O relatório mostra que o Brasil tem hoje 94,2% da população entre 4 e 17 anos matriculados nas redes de ensino básico, mas os desafios ainda são muitos. Quanto à alfabetização das crianças, segundo a ANA 2014, última edição com informações divulgadas, 77,8% dos alunos do 3º ano do Ensino Fundamental apresentaram proficiência em leitura, enquanto 65,5% eram proficientes em escrita e 42,9% eram considerados matematicamente alfabetizados.

As dificuldades na alfabetização acarretam obstáculos na aprendizagem dos anos subsequentes, como mostra o monitoramento da Meta 3: em 2015, 54,7% dos alunos do 5º ano do Ensino Fundamental apresentaram nível de aprendizado adequado em língua portuguesa, um aumento de 9,6 pontos percentuais (pp) em comparação aos resultados de 2013.

Em matemática, a porcentagem foi de 42,9% – um aumento de 3,4 pontos percentuais em relação à última edição. O 9º ano também apresentou melhora, principalmente em língua portuguesa, onde saltou de 28,7% para 33,9%. No Ensino Médio, no entanto, os resultados seguiram estagnados: apenas 27,5% e 7,3% dos alunos terminam essa etapa de ensino sabendo o suficiente em língua portuguesa e matemática, respectivamente.

O fluxo escolar, por sua vez, apresentou leve melhora: entre 2014 e 2015, a taxa de conclusão do Ensino Médio até os 19 anos aumentou de 56,7% para 58,5% – percentual ainda bastante inferior à meta de 74,5% estabelecida pelo Todos Pela Educação.

Por fim, quanto ao investimento na área educacional, os dados mais recentes mostram que, em 2014, o percentual do investimento público direto em Educação em relação ao Produto Interno Bruto (PIB) foi de 5%, mantendo praticamente o mesmo percentual desde 2010.

É preciso ressaltar que os indicadores das 5 metas do relatório apresentam uma visão global do cenário educacional brasileiro, com dados por faixa etária, região, nível socioeconômico, gênero e raça/cor, revelando as grandes disparidades que existem em território nacional em todas as etapas da Educação Básica pública.

Todo o conteúdo do De Olho nas Metas 2015-2016, bem como o das edições anteriores, encontra-se disponível no site do Todos Pela Educação para download gratuito

A sétima edição do De Olho nas Metas ainda conta com artigos sobre temas fundamentais para as políticas educacionais brasileiras como acesso, tecnologia, formação docente, protagonismo juvenil e financiamento. 

Beatriz CarvalhoComment