Da Palmatória a Ritalina: Curso de Pós-Graduação combate a Medicalização Infantil

Há um silencioso genocídio a infância que precisa ser denunciado e combatido. Com a justificativa de promover o melhor rendimento do aprendizado das crianças, o cloridrato de metilfenidato, substância presente em medicamentos conhecidos com nomes como Ritalina e Concerta, é aplicado para que elas se tornem “obedientes, disciplinadas e concentradas”. Entretanto aquilo que é visto como indisciplina, desobediência ou dificuldade de concentração, é na verdade fruto da falta de diálogo da instituição escolar com aquilo que tem mais significado para formação da subjetividade destas crianças, seus interesses e desejos mais profundos.

O curso de pós-graduação lato sensu  Da palmatória a ritalina – Desconstrução de Diagnósticos para Desmedicalização oferece subsídios científicos para que os profissionais aqui formados saiam aptos a atender crianças diagnosticadas e medicadas de forma equivocada e fraudulenta.

Diagnósticos como Transtorno de Déficit de Atenção, Hiperatividade, Transtorno Desafiador Opositor, Transtorno Obsessivo Compulsivo, Dislexia, dentre outros absurdos que possam ser criados, não reconhecem oser humano como um ser integral, produto de uma cultura, com suas questões emocionais, sociais e biológicas completamente indissociáveis, interdependentes e diretamente ligadas ao processo cognitivo. TDAH, TDO e Dislexia não são doenças neurobiológicas e genéticas , não há nenhum gene responsável por fundamentar estes diagnósticos. Eles partem de concepções científicas equivocados e ultrapassadas sobre o cérebro e o ser humano, defendem que as pessoas com estes diagnósticos possuem uma espécie de defasagem no Córtex pré-frontal e não reconhecem os avanços da ciência moderna, aplicada as várias áreas do saber, da cibernética a medicina contemporânea. Os testes utilizados para fundamentar estes diagnósticos são totalmente fraudulentos, expõe as crianças a situações extremamente constrangedoras e traumáticas, criam profecias auto-realizadoras com consequências perversas para toda a vida.

 

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

O curso oferece os fundamentos epistemológicos capazes de desconstruir diagnósticos que transformam problemas de educação em problemas de saúde, além de uma visão crítica sobre o modelo hegemônico de organização da instituição escolar responsável pelo adoecimento das crianças. Busca ainda apresentar outras formas possíveis de organizar a instituição escolar, no Brasil e no mundo, que apresentam ambientes mais adequados ao aprendizado de seus estudantes, assim como construir a compreensão do ser humano como um ser integral, e da educação como um processo natural da vida humana presente em todos os lugares e em todos os momentos.

O curso coordenado por Denis Plapler, Mestre em Filosofia da Educação pela Faculdade de Educação da USP e Sociólogo pela PUC-SP, conta também com professores convidados de distintas áreas do saber, da psicologia, psicanálise, pediatria, homeopatia, psiquiatria, neurologia, sociologia, pedagogia e filosofia.

Inscrições pelo site: http://www.fapes.net/educacao-integral/da-palmatoria-a-ritalina-especializacao-em-desconstrucao-de-diagnosticos-para-desmedicalizacao/