Você pediu ajuda para arrumar a bagunça da sala e seu filho simplesmente saiu, deixando você falando sozinho? Ou ele bateu o pé e disse que não ia arrumar? Mais cedo ou mais tarde, existem situações em que seu filho não vai querer cooperar. Antes de tudo, respire fundo e recupere a calma. Em vez de querer controlar a criança, tente entender: como será que você pode ajudá-la a cooperar? O CanalBloom criou um material para apoiar familiares no desenvolvimento de crianças:

Ilustração para falar sobre A criança não coopera. Nela, a sala está bagunçada e pai e filho estão brigando

Acolha as necessidades por trás da atitude

Imagine que você pede que a criança organize os blocos de brinquedo espalhados pelo chão. Ela começa aquela disputa e arremessa um dos blocos na parede. Por que será que ela fez isso? Ela pode estar chateada porque dedicou um enorme tempo para construir um castelo tão alto e agora terá que desmanchá-lo para guardar os blocos. Quando você compreende o sentimento por trás do que ela fez, você pode orientá-la de uma maneira mais eficiente, facilitando a cooperação. Experimente dizer: “Filho, eu acho que você ficou chateado porque não quer desmontar o castelo que fez com tanto esforço, foi isso? Tudo bem ficar chateado, mas jogar o bloco na parede pode machucar alguém e estragar a parede, por isso não fazemos isso. Que tal se deixarmos o castelo montado e guardarmos o resto dos blocos?”.

Use a imaginação para transformar as tarefas em momentos divertidos

Tanto para a criança, quanto para você. Escovar os dentes é um momento difícil? Você pode desafiar o seu filho a ouvir o barulho da escova quando toca no dente, quem sabe até criando uma música enquanto fazem isso. E se o banho for uma batalha? Que tal se no caminho até o chuveiro vocês fizerem de conta que são um animal divertido e caminharem como esse animal até lá?

Ofereça opções para que ela possa participar

Tomar vacina não vai ser agradável de nenhum jeito. Mas seu filho pelo menos pode escolher em qual braço prefere tomar a injeção, por exemplo. Oferecer a possibilidade da criança escolher entre duas ou três opções definidas por você ajuda bastante na cooperação. Por isso, se é hora de preparar o almoço e você quer que ela coma um legume. Deixe-a escolher se vai ser brócolis ou beterraba, se são essas as opções que você tem em casa. E se é hora de dormir e ela não quer guardar os brinquedos, você não precisa permitir, mas você pode sugerir que ela escolha entre guardar os brinquedos sozinha ou receber a sua ajuda para isso.

Lembre de valorizar as atitudes da criança no dia a dia e estar presente! A chave da cooperação é a conexão com você. Para conferir o SOS completo sobre esse tema no CanalBloom, acesse “Meu filho não quer cooperar. O que eu faço?”. 

O CanalBloom é uma plataforma que traz ferramentas para apoiar pais e mães nos desafios da parentalidade, buscando uma infância mais saudável com base em orientações de especialistas e um conhecimento qualificado. Acesse através do: www.canalbloom.com